Dia Internacional de Luta Contra a Aids

Hoje é um dia bem importante no mundo, quando todos resolvem falar e alertar sobre um assunto no mínimo delicado: a Aids. Trata-se de uma deficiência no sistema imunológico, associada com a infecção pelo vírus da imunodeficiência humana HIV – (Human Immunodeficiency Virus), provocando aumento na susceptibilidade a infecções oportunísticas e câncer.
Acho importante que a cada ano, a doença parece deixar o tabu de lado e avança nas pesquisas em busca da cura. É também um dia muito importante contra o preconceito!

Um importante levantamento da ONU mostra que o número de mortos pela Aids caiu para o menor número em 2010. Segundo a reportagem do Estadão, a mortalidade, que chegou a ser de 2,2 milhões de indivíduos por ano em meados da década passada, caiu para 1,8 milhão no ano passado.

Transmissão:
– o vírus HIV pode ser transmitido pelo sangue, sêmen, secreção vaginal, leite materno;
– relações sexuais homo ou heterossexuais, com penetração vaginal, oral ou anal, sem proteção da camisinha, transmitem a Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis e alguns tipos de hepatite;
– compartilhamento de seringas entre usuários de drogas injetáveis;
– transfusão de sangue contaminado;
– instrumentos que cortam ou furam, não esterilizados;
– da mãe infectada para o filho, durante a gravidez, o parto e a amamentação.

Sintomas:
Começam como uma gripe, com febre e mal estar. O organismo vai enfraquecendo com o passar do tempo, afinal, o virús ataca o sistema de defesa do nosso corpo, o imunológico.
A Aids é o estágio mais avançado que a doença atinge. Os sintomas mais comuns são: febre, diarreia, suores noturnos e emagrecimento. O paciente, que muitas vezes não fez o teste, pode chegar a desenvolver outras doenças, como hepatites virais, tuberculose, pneumonia, toxoplasmose e alguns tipos de câncer.

Tratamento:
Atualmente a terapia com os chamados “anti-retrovirais” proporciona melhoria da qualidade de vida, redução da ocorrência de infecções oportunísticas, redução da mortalidade e aumento da sobrevida dos pacientes. (Os anti-retrovirais são medicamentos que suprimem agressivamente a replicação do vírus HIV).

ATENÇÃO:
A Aids não é transmitida pelo beijo, abraço, toque, compartilhando talheres, utilizando o mesmo banheiro, pela tosse ou espirro, praticando esportes, na piscina, praia e, antes de tudo, não se pega aids dando a mão ao próximo, seja ele ou não soropositivo.

Fontes:
Programa Nacional de DST e Aids do Ministério da Saúde.
Secretaria de Estado da Saúde do Distrito Federal


Em todo caso, o melhor a se fazer é EVITAR a doença, usando camisinha.
Esse vídeo mostra de uma maneira descontraída as situações amorosas e sexuais que as mulheres são expostas ao longo da vida. Preservação tem que ser parte disso. Cuide-se!

Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s